Arquivo do mês: janeiro 2008

Eu acredito é na rapaziada

Bom dia Uma aula excelente sobre o que acontece na prática.  Não estou motivada por qualquer grupo radical de esquerda ou direita. Aliás, sempre gostei de ponderar sobre os excessos e achei muito mais proveitoso os desafios do centro. Mas … Continuar lendo

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

A lata velha

Iniciei o ano com o pé no acelerador. Ano de muitos sim. Tracei metas ambiciosas e pretendo dar conta de todas elas. Uiui… Tenho uma lista assustadora de iniciativas a realizar. Para os inúmeros limites, tenho emitido sinais de fumaça. … Continuar lendo

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

CELULAR, NUNCA MAIS

Definitivamente creio que a maior doença do Brasil é o péssimo atendimento. Logo me vem à cabeça o excelente filme de suspense “Se Careta Matasse”, que usei inúmeras vezes ao coordenar grupos em treinamento sobre técnicas de atendimento. Uma obra-prima. … Continuar lendo

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

E lá se vai… mais um dia

Dormi no verão escaldante e acordei numa deliciosa manhã chuvosa. A temperatura está perfeita. Depois de responder uns email lindos de minhas amigas corujas – Lu, a mineirinha capixaba, com direito a “presença” de Chicote e tudo mais, e, Madalena, … Continuar lendo

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Towanda

Assisti ontem, em repeteco, o filme Tomate Verdes Fritos cheia de boa vontade. Experimentei todas as emoções possíveis – chorei, sorri, indignei-me, gargalhei, me sacudi, como a deusa Baubo, senti raiva (viu lobo mau!) e torci tomando partido mesmo – … Continuar lendo

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

tre lê lês e tra, lá lás

Enfim uma semana com cara de end. Ufa , cansada, aliás, exausta seria mais apropriado, matei 2 leões, uma raposa e 5 gatos esses dias (isso me lembra de Lex, saudades). Claro que nenhum lobo, imagine se correria riscos…  estou … Continuar lendo

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Telefônicas e outras conversas

Esta semana resolvi sair da toca e liguei para a Dê para darmos uma fugida noturna pela cidade maravilhosa. Estava com muitas saudades. Fazia tempo não consumia a cidade dessa forma. Ela contou-me que estava eventualmente solteira. Eu, a deriva … Continuar lendo

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário