Universo Masculino

Estes dias resolvi dedicar-me ao masculino. Chega de vasculhar somente o universo feminino e ter que me virar permanentemente de ponta cabeça. Quero descobrir-lhes a origem de tamanha “normalidade”, a disposição para o futebol e a caça. Estou curiosa sobre o percentual de loucura que os tornam tão desejados. Seria um tanto de megalomania ou a consciência de que ser homem não lhes bastaria?

Juremir Machado da Silva em sua crônica de hoje – by Paris – nos dá uma mostra encantadora disso tudo. Conta sobre sua visita a Barcelona e deixa-me verde de inveja, mas pasma com a motivação de seus gritos histéricos.

“…  Flanamos por muitos bairros, admirando as grandes avenidas modernas, as casas saídas da mente curva de Gaudí, o litoral cuidado como um jardim, as esculturas hipermodernas, o lindo Palácio da Música e até mesmo um pouco da noite catalã, dominada por uma juventude fashion e trepidante. A pobreza, obviamente, se alastra por léguas de uma periferia cinzenta e poluída. Como não fui ao Japão, em dezembro, não poderia deixar de fazer esta peregrinação a Barcelona, terra dos anarquistas, bastião da resistência primeiro a Castela e depois ao franquismo, para gritar solitário diante do Camp Nou: ‘Viva o Internacional’. Num arroubo, fui muito além: ‘Viva Gabiru’. Devem ter achado que eu era um libertário nostálgico ou até mesmo um doido em luta contra o regionalismo catalão. Salvo se o nome Gabiru lhes soou como o de algum ditador latino-americano. Voltamos cansados de tanto olhar e de tanto achar lindo. “

Comecei a escrever sobre isso na segunda lá do trabalho, mas meu blog http://luaazul.zip.net da uol desperdiçou minha boa intenção e sumiu com tudo. Seria intriga da oposição?

Tem muita coisa bem encaminhada, a filha deu a dica do livro Extremamente alto & incrivelmente perto que promete trazer alguma luz, Jonathan Safran Foer, o autor, disse em entrevista exclusiva ao site Literal, que a literatura deve ser "um machado a quebrar a fina camada de gelo de um lago, que o separa de você mesmo". Creio que não terei sossego, ele tem toda razão, sempre mergulho a correr pelo deserto com lobos e livros debaixo do braço.

Selecionei ainda 4 filmes para acompanhar-me nessa empreitada: Valentin, de Alejandro Agresti;  Uma Vida Iluminada, roteiro de história adaptada de outro livro de Foer; Dois Anjos, produção iraniana-francesa; e Às Cinco da Tarde, que desnuda o epistemológico corte na cultura do afeganistão. Na verdade este último se adequa bem mais em minha seleção sobre mulheres voluntariosas.  

Aproveitarei para visitar nos próximos solitários dias as múltiplas exposições que estão pela cidade. Observarei com o olhar curioso de quem quer enxergar o homem criador da arte. 

Comecei a sondar homens amigos sobre o tema. Aproveitarei ainda para exercitar-me com 2 belos exemplares da boa raça – um poeta e, outro, romancista – que surgiram do nada em meu orkut. É a tal Conspiração Aquariana. Com certeza terei deliciosos momentos quiçá surpreendida pelo amor.

Beijos

Luinha

Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s