O suave odor primaveril

Ontem à noite viajei invejosa pelo suave odor primaveril que enebriou os olhos do lobo mau, serviu para me deixar ainda mais alerta quanto as possibilidades de beleza e alegria, minha motivação.

A leitura precoce de Juremir Machado me deixou com aquele sorriso nos lábios, pronta para os braços do Morfeu, depois de soltas gargalhadas. Ele é genial. A descrição de sua tensão para ir a uma festa rave ilegal está fantástica. Recomendo a leitura de meu cronista querido. Acabei descobrindo porque a gauchada vai pescar tanto.

Nem as sórdidas tentativas da dupla de amigos “curarem” meu trauma de baratas atrapalharam o meu sono. Tentaram ainda colocar caraminholas sobre as fases anal ou frontal da questão analítica, mas ficou entravada pelas limitações da oralidade humana. Sim, estivemos novamente juntos tocando em frente essa deliciosa relação dos “Lus”.   

Luz, a despeito do sono, passou parte da madrugada de sexta para sábado identificando as músicas do cd que embalou o nascimento de minha netinha biônica. Havia enviado uma cópia para ela no ano passado. Sábado era seu aniversário e precisávamos de algumas cópias. O Nero acabou com a seleção que estava aqui em meu pc. Bobiei em confiar no paranóico incendiário romano.  Amigos são coisas pra se guardar mesmo debaixo de 7 chaves. Assim que pedi, prontificou-se a catar sua cópia e colocar para que eu ouvisse e identificasse as belas canções. Meus sinceros agradecimentos, Luluzinha. Eu quase dormia no teclado, nem agüento mais isso não.

Cuidando de minhas simplicidades, selecionei as músicas que embalariam meu despertar nessa manhã de domingo com forte cheiro democrático. E mandei ver…

Acordei bem cedo pra variar e bem disposta. Dei uma geral na casa, fiz chá verde, bebi água aditivada com potássio e vinagre de sidra, e café com leite.  O delicioso queijo prato ligth acabou e acabei comendo 2 fatias de mussarela pensando num ovo, mas resisti deixando a opção gostosa para mais tarde.  Fiquei enjoada com o gosto do queijo gorduroso na boca.

Engraçado isso de estar só em casa, sinto como se estivesse livre, leve e solta, na maioridade, igual minha filha de 18 anos.

Percebo que minha sala está tão gostosinha cheia de tons alaranjados. Pensei em forrar o sofá da sala de branco, mas terá que ficar pra depois, amanhã a costureira virá forrá-lo de outra cor. A rede ali ao lado da janela é algo de especial, dá um tom aconchegante ao ambiente.

Quase esqueço de citar as músicas, vale a pedida, se quiser posso enviar pelo msn. Comecei com Lou Reed, a exemplo do filme As Luzes do verão, cantando deliciosamente Perfect Day, Wait for the man. Heroin, All tomorrows parties e outras tantas mais do vietnamita Trinh cong son. Adorei conhecer seu trabalho e a bela canção dan vinh hung.

Ai ai… vou votar assim encantada e cheia de amor no coração.

 

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s